Exposição Debaixo do Bulcão 1996-2016 | ZineFestPt

bulcao_exposicao1 bulcao_exposicao2 bulcao_exposicao5

Exposição de trabalhos gráficos publicados no Debaixo do Bulcão poezine (incluindo maquetes originais) e em divulgação de actividades deste projecto (cartazes, flyers, etc). É um Poezine literário alternativo, de periodicidade (mais ou menos...) trimestral

Debaixo do Bulcão poezine é  editado em Almada desde Dezembro de 1996. Nascido com a intenção possibilitar a publicação de poesia por meios alternativos a todos os interessados, sem filtros nem regras de selecção baseadas na “qualidade”. O nome brinca com a ambiguidade das palavras “vulcão” e “bulcão” (negrume de nuvens que precede a tempestade).

Exposição Ocupação: Vigilância | ZineFestPt

nada-a-temer-miolo1 sama-at-work vigilancia1

O conceito de VIGILÂNCIA com seus desdobramentos eróticos, políticos e distópicos são elementos frequentes na obra de Sama. O universo do artista que nos é apresentado através de Zines de BD, contos e imagens, passa-nos uma sensação de vertigem contemporânea, às vezes perturbadora e outras vezes carregada com humor ácido, que nos deixa, poeticamente, em estado de vigilância.

A exposição consiste na ocupação do espaço originalmente destinado à segurança do Centro Comercial de Cedofeita. Neste espaço teremos expostos: desenhos, monotipias e colagens originais além de zines do autor, como sua última publicação, o NADA A TEMER, que conta com as participações de Carlos Tê, José Soeiro, Lu Sequeira, Joana Lopes e Noam Chomsky. 

"VIGILÂNCIA", insere-se claramente numa esfera sociopolítica reactiva, produzida através da tensão formal e física resultante da colagem de títulos de notícias, recortados dos jornais que ainda resistem a hegemonia do digital, em desenhos que o autor cria previamente, num processo criativo devedor tanto da estética DIY como das vanguardas modernistas.

Para isso contribui decisivamente as técnicas escolhidas pelo autor: o desenho, a colagem e a monotipia, técnica essa que consiste na criação de um desenho e/ou mancha de cor numa superfície lisa que depois é impresso num folha, obtendo-se assim uma prova única desse mesmo trabalho (o prefixo mono, em latim, significa único). Sendo uma forma de arte espontânea, tem quase sempre resultados imprevisíveis e por isso experimentais.

Exposição Music Stuff… from Fanzineteca

6b 8b

A Uzine Fanzine – Fanzineteca, de Coimbra, surge em 2012 e partiu de dois fãs de zines, Fernando Ferreira – responsável pelo blogue UzineFanzine, e Nuno Loureiro, editor de um extinto fanzine, o Vortex.

Estes dois entusiastas decidiram constituir um arquivo sob o formato de biblioteca, a que deram o nome de Fanzineteca –  a primeira do seu género em Portugal -, localizada neste momento na Casa Museu Bissaya Barreto, com uma larga centena de exemplares, que faziam parte do acervo dos dois coleccionadores citados, e que abrange variadas temáticas, desde a banda desenhada à poesia, passando pela música, pela política e até pela culinária, não esquecendo decerto a ilustração.

http://uzinefanzine.blogspot.pt/

Como cedência para a exposição Sorry we're Open! no KISMIF 2016, organizada pelo coletivo do ZineFestPt foram enviadas pela fanzineteca de Coimbra os seguintes fanzines que agora se voltam a mostrar neste último momento do ano:

- crack - sound views - escritas do subsolo - the rule - fatherzine  - zips & chains - raising hell - republic  - re move - la penumbra arcaica